cuidar dos pais em casa

 

Quimioterapia

Quimioterapia é um tratamento que utiliza medicamentos para destruir as células doentes que formam no organismo.  Popularmente, o termo refere-se à quimioterapia antineoplásica, um dos tratamentos do câncer onde são utilizadas drogas antineoplásicas. Agentes quimioterápicos também podem ser utilizados para o tratamento de doenças autoimunes, tais como a esclerose múltipla e a artrite reumatoide. Estes medicamentos se misturam com o sangue e são levados a todas as partes do corpo, destruindo as células doentes que estão formando o tumor e impedindo, também, que elas se espalhem pelo corpo.

A seguir abordaremos diversos tópicos referentes a este tratamento.

Como é administrada a quimioterapia?

O tratamento é administrado por enfermeiros especializados e auxiliares de enfermagem, podendo ser feito das seguintes maneiras:

  • Via oral (pela boca): o paciente ingere pela boca o medicamento na forma de comprimidos, cápsulas e líquidos. Pode ser feito em casa.
  • Intravenosa (pela veia): a medicação é aplicada diretamente na veia ou por meio de cateter (um tubo fino colocado na veia), na forma de injeções ou dentro do soro.
  • Intramuscular (pelo músculo): a medicação é aplicada por meio de injeções no músculo.
  • Subcutânea (pela pele): a medicação é aplicada por injeções, por baixo da pele.
  • Intracraneal (pela espinha dorsal): menos frequente, grande parte em crianças, podendo ser aplicada no líquor (líquido da espinha), pelo próprio médico ou no centro cirúrgico.
  • Tópico (sobre a pele ou mucosa): o medicamento (líquido ou pomada) é aplicado na região afetada

 

Quanto tempo demora todo o tratamento de quimioterapia?

A duração do tratamento é planejada de acordo com o tipo de tumor e varia em cada caso. Ainda que o paciente não sinta qualquer mal-estar, as aplicações de medicamento não devem ser suspensas. Somente o médico indicará o fim do tratamento.

 

Alguns efeitos indesejáveis da Quimioterapia

  • Fraqueza: O paciente deve evitar esforço excessivo e aumentar as horas de descanso. Em casa é importante dividir as atividades do lar com as do trabalho.
  • Diarreia: o médico irá receitar medicamentos próprios para combater a diarreia, o que pode ser ajudado com a ingestão de líquidos e de alimentos como arroz, queijo, ovos cozidos, purês e banana, que ajudam a “segurar” o intestino. O paciente deve se lavar após cada episódio de diarreia e consultar-se com o nutricionista.
  • Perda de peso: alimentos como gemadas, milk-shakes, queijo, massas e carnes, ajudam a aumentar seu peso, e devem ser ingeridos principalmente no intervalo entre uma aplicação e outra.
    Aumento de peso: neste caso, o paciente deve reduzir a quantidade de alimentos, diminuir ou cortar o sal da alimentação e comer mais frutas.
  • Feridas na boca: para minimizar esse efeito, deve-se manter a boca sempre limpa, e evitar usar escova de dentes e prótese dentária. O enxague deve ser feito com água filtrada e uma colher de chá de bicarbonato. É indicado comer alimentos pastosos, sopas ou sucos. Alimentos gelados (sorvetes e gelatina) ajudam a anestesiar a boca.
  • Queda de cabelos e outros pelos do corpo: para contornar essa situação passageira, podem ser utilizados perucas, lenços e outros acessórios para melhorar o visual.
    Enjoo: o paciente deve comer em pequenas quantidades e com mais frequência. Balas à base de hortelã, água mineral gelada com limão, bebidas com gás e sorvetes ajudam a melhorar este tipo de desconforto.
  • Vômitos: evitar alimentos com muito tempero ou muito gordurosos (é bem aceita pipoca sem gordura) e bebidas alcoólicas; tomar os remédios para enjoo e vômito que forem receitados pelo médico; comer algo leve antes da aplicação e dormir após.
  • Tonteiras: o paciente deve vir acompanhado para a sessões da quimioterapia. Após a aplicação, deve descansar, evitando passeios.

Como fazer rotina

O paciente pode manter as atividades de trabalho normais, devendo comunicar ao médico qualquer reação do tratamento.

  • Sono: é importante dormir bem e repousar, principalmente após receber a aplicação. Isso porque um corpo descansado responde melhor ao tratamento e ajuda a reduzir os efeitos desagradáveis que ele pode causar.
  • Outros medicamentos: o paciente deve informar ao médico se possui outro problema de saúde e se toma outros remédios.
  • Bebidas alcoólicas: É proibido tomar bebidas alcoólicas poucos dias antes ou poucos dias após receber a aplicação da quimioterapia; e quando o paciente estiver tomando antibióticos, tranquilizantes ou remédios para dormir.
  • Menstruação: as mulheres que menstruam podem apresentar algumas alterações no ciclo menstrual. O fluxo de sangue do período pode aumentar, diminuir ou parar completamente. Se isto acontecer, o médico responsável deve ser comunicado. No entanto, após o término do tratamento, o ciclo menstrual retornará ao normal.
  • Tratamento dentário: só deve ser feito mediante autorização do médico.
  • Atividades sexuais: a quimioterapia não interfere nem prejudica as relações sexuais, que podem ser mantidas normalmente. Vale ressaltar que a gravidez deve ser evitada durante o tratamento. Por isso, homens e mulheres devem usar preservativo (camisinha) em todas as relações sexuais, e as mulheres também devem usar pílulas anticoncepcionais se o médico prescrever.

Cuidados especiais

Ao fazer a barba, o paciente deve ter cuidado para não se cortar (se possível, usar barbeador elétrico). Nas mãos, evitar retirar cutículas e cuidado ao cortar as unhas. Caso sinta ressecamento da pele ou descamação, pode passar hidratante que não contenha álcool (como por exemplo óleo de amêndoa, leite de aveia, Proderm). Não usar desodorantes que contenham álcool. Alguns medicamentos, quando administrados fora da veia, podem causar lesões do tipo queimaduras que, quando não tratadas, podem causar algumas complicações. Podem surgir dores, queimação, inchaço, vermelhidão no braço e outros sintomas, que podem ser sentidos durante a injeção ou algum tempo (até dias) depois. Em casa, o paciente pode tomar algumas medidas:

  • lavar o braço com água e sabão;
  • mergulhar o braço em água gelada durante 20 minutos, várias vezes ao dia, até que desapareça a vermelhidão;
  • manter o braço elevado o maior tempo possível.

 

Radioterapia

É um tratamento no qual se utilizam radiações ionizantes, raio X, por exemplo, para destruir um tumor ou impedir que suas células aumentem. Estas radiações não são vistas e durante a aplicação o paciente não sente nada. A radioterapia pode ser usada em combinação com a quimioterapia ou outros tratamentos.

Quais os benefícios da radioterapia?

Metade dos pacientes com câncer são tratados com radiações e o resultado costuma ser muito positivo. Para muitos pacientes, é um meio bastante eficaz, fazendo com que o tumor desapareça e a doença fique controlada, ou até mesmo curada. Quando não é possível obter a cura, a radioterapia pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida. Isso porque as aplicações diminuem o tamanho do tumor, o que alivia a pressão, reduz hemorragias, dores e outros sintomas, proporcionando alívio aos pacientes.

Como é feita a radioterapia?

O número de aplicações necessárias pode variar de acordo com a extensão e a localização do tumor, dos resultados dos exames e do estado de saúde do paciente.

Para programar o tratamento, é utilizado um aparelho chamado simulador. Através de exames de imagem, o médico delimita a área a ser tratada, marcando a pele do corpo com uma tinta vermelha. Para que a radiação atinja somente a região marcada, em alguns casos pode ser feito um molde de plástico para que o paciente se mantenha na posição durante a aplicação como nos pacientes que tratam cabeça e pescoço.

De acordo com a localização do tumor, a radioterapia é feita de duas formas:

  • Radioterapia externa ou teleterapia a radiação é emitida por um aparelho, que fica afastado do paciente, direcionado ao local a ser tratado, com o paciente deitado. As aplicações são geralmente diárias.
  • Braquiterapia: Aplicadores são colocados pelo médico em contato com o local a ser tratado e a radiação é emitida do aparelho para os aplicadores. Esse tratamento é feito no ambulatório podendo necessitar de anestesia de uma a duas vezes por semana.

A intensidade dos efeitos da radioterapia depende da dose do tratamento, da parte do corpo tratada, da extensão da área irradiada, do tipo de radiação e do aparelho utilizado, e da adesão do paciente às orientações de cuidados durante o tratamento. Geralmente aparecem na 3ª semana de aplicação e desaparecem poucas semanas depois de terminado o tratamento, podendo durar mais tempo.

Os efeitos indesejáveis mais frequentes são:

  • Perda de apetite e dificuldade para ingerir alimentos: é recomendável comer pouco e em mais vezes. O paciente deve ingerir coisas leves e variar a comida para melhorar o apetite. Em alguns casos, a saliva torna-se mais espessa e altera o sabor dos alimentos, mas após o término do tratamento o paladar irá melhorar.
  • Cansaço: o paciente deve intercalar as atividades cotidianas com períodos de descanso. Algumas pessoas preferem se afastar do trabalho, outras trabalham menos horas no período de tratamento.
  • Reação da pele: a pele que recebe radiação poderá coçar, ficar vermelha, irritada, queimada, tornando-se seca e escamosa. É importante informar ao médico, durante as consultas de revisão, e ao enfermeiro, durante as consultas de enfermagem, qualquer das seguintes situações: febre igual ou acima de 38°C, dores, assaduras, bolhas e secreção na pele.

 

Compromissos com em geral na vida

  • No dia anterior à quimioterapia e radioterapia, separe as folhas de anotações, exames, relatórios da enfermagem e do cuidador e receita dos médicos para levar. Deixar em cima da mesa, bem como as roupas para uso – camisa, calça, roupas de baixo, meias, calçados – e deixar em cima da mesa e das cadeiras.
  • Se for de táxi, deixar agendado o horário meia hora antes de sair. Necessário chegar 30 minutos antes do horário.
  • No dia anterior tome um bom banho. Lave a cabeça e seque bem os cabelos. Faça a barba com todo cuidado e no jantar, tome sopa ou caldo, torrada e líquidos. Evitar alimentos sólidos.
  • Nunca pense que a quimioterapia constitui um sofrimento. Tenha sempre em mente que é modalidade de tratamento para obter a cura.

 

Na volta do tratamento

  • Venha com calma, seja de ônibus, táxi ou carro de familiares. A velocidade deve ser a mais lenta o possível. Para evitar náuseas, quando chegar em seu lar alimente-se de caldos ou sucos para depois descansar em ambiente sem barulho e luzes.

 

Saúde!

Dr. Sergio Munhoz

 

Compartilhar: