Mais 7 orientações após amputações em idosos

Ainda nos dias de hoje, chamam a atenção pessoas com deficiência física, já que tem de enfrentar uma série de obstáculos para seu dia a dia. Idosos nesta condição ainda têm o acréscimo de várias alterações advindas do processo de envelhecimento.  

São inúmeras as repercussões no pós-operatório e retorno aos seus lares de idosos amputados. Alguns se consideram vítimas, passam-se meses e não acreditam que perderam um membro, sentem-se “aleijados” e ficam muitos infelizes, inclusive desistindo de seguir em frente. 

Cuidar dos pais e avós em casa com algum grau de amputação exige de filhos e netos participação fundamental. Veja abaixo algumas orientações para melhor ajudá-los: 

1) Apoio! Se para muitos idosos a terceira idade já produz exclusão da sociedade, como incapazes, imagine agora, com parte do corpo amputada! Reforce que ele é capaz de retomar boa parte das atividades e que ele não está sozinho neste período. Encoraje-o sempre! Apoie! Este é seu papel. 

2) A fisioterapia é parte fundamental na recuperação do paciente idoso amputado. Um profissional especializado e habilitado terá clareza dos objetivos e metas que deseja alcançar para possibilitar que ele obtenha sua autonomia e independência em menor tempo, além de evitar maiores sequelas. Siga rigorosamente as instruções! 

3) Compreender que a reabilitação para uns idosos amputados poderá ser curta, entretanto para outros, um pouco mais longa e, por vezes, para toda a vida. Mudanças de espaço físico, como locais com escadas e andares, podem ser necessárias, tal como aproximação de familiares e amigos para ajudarem, até mesmo um esforço para diminuição do peso corporal. 

4) O uso de cadeira de rodas poderá ser necessário, para reduzir a inatividade de um confinamento em casa, onde é comum ficarem sentados num sofá ou na cama. A maioria dos idosos com amputações em uso de cadeira de rodas enfrenta uma série de obstáculos físicos e interpessoais, na realização das atividades da vida diária, muitas vezes levando à insegurança. Filhos e cuidadores devem ficar atentos para minimizarem as dificuldades e facilitar a adaptação à cadeira de rodas

5) As muletas ou andador estarão na sequência da recuperação da autonomia e independência do idoso amputado. Quanto mais precoce for se movimentarem, melhor serão os resultados. Cuidado para não se desequilibrarem ou machucarem as axilas pela pressão das muletas. 

6) Pode-se chegar à independência total, com a utilização de próteses apropriadas e adaptadas para sua necessidade. Isto facilita a reinclusão social e melhora da qualidade de vida. Escolha a melhor prótese, pois ela não é um acessório, mas componente essencial! 

7) Os esportes adaptados para pessoas com deficiências, para muitos idosos amputados, são uma boa oportunidade de seguirem desafios na vida. Natação, vôlei, basquete são algumas das modalidades. Além de ser uma motivação, o esporte é um exercício físico. O nível alcançado por estes idosos superando suas próprias expectativas e suas próprias marcas pode ser incrível. 

O importante é que as barreiras físicas, sociais e emocionais possam ser vencidas e mesmo na adversidade seguir em frente.   

As limitações resultantes de uma amputação dependem do nível da mesma. Independentemente disto, deve-se realizar todo um processo de reabilitação, de modo a aprender a retomar a qualidade de vida. Aprenda mais no vídeo abaixo: 

People photo created by master1305 – www.freepik.com

Compartilhar: